Em alta, Chromebooks colocam à prova os novos PCs com Windows 10 S

Windows10 S nãp permite que o usuário defina outro navegador como padrão.
4 de maio de 2017
Fraudes de Cobrança
10 de maio de 2017
Exibir tudo

Em alta, Chromebooks colocam à prova os novos PCs com Windows 10 S

Há anos a Microsoft vem tentando segurar a ameaça crescente do Google Chrome OS, que vem roubando participação do Windows no mercado de PCs.

Agora a empresa de Cupertino resolveu se mexer de verdade, com o lançamento nesta terça-feira, 2/5, do novo sistema operacional Windows 10 S voltado para o mercado educacional dos EUA, que é dominado pelos Chromebooks naquele país.

Mesmo com o novo Windows 10 S, as vendas globais de Chromebooks devem crescer em dois dígitos em 2017, de acordo com analistas das consultorias IDC e Gartner. A participação dos Chromebooks no mercado vem crescendo consistentemente desde 2015.

O novo Windows é construído como o Chrome OS. Os PCs com Windows 10 S só poderão baixar aplicativos pela Windows App Store. O sistema é mais um “contêiner” que rodará apps assegurados e verificados pela Microsoft. Uma versão do pacote Office também chegará ao Windows 10 S.

De forma parecida, os Chromebooks rodam apps assegurados e verificados pelo Google. Modelos mais novos de Chromebooks com telas sensíveis ao toque também estão recebendo suporte para aplicativos Android, deixando os aparelhos mais versáteis. O Google posicionou os Chromebooks como uma alternativa aos PCs Windows, apesar de os computadores possuírem funcionalidade offline limitada e funcionarem melhor com conexão com a Internet.

Grandes fabricantes devem lançar laptops com Windows 10 S voltados para o mercado de educação, com preços a partir dos 200 dólares. Mas essas mesmas fabricantes também estão vendendo Chromebooks de baixo custo, que estão sendo usados por 20 milhões de estudantes pelo mundo, a maioria deles nos EUA.

O Windows é usado na maioria dos PCs atualmente, mas não será fácil para o Windows 10 S entrar de verdade nas salas de aula, especialmente nos EUA.

Cerca de 10,8 milhões de Chromebooks foram vendidos em 2016, o que representou 6,9% do mercado, segundo a IDC. As vendas desses aparelhos devem crescer 15% em 2017 em comparação com o ano passado. Para efeito de comparação, as vendas de Chromebooks totalizaram 7,7 milhões de unidades em 2015.

Os Chromebooks já representam 6% das vendas totais de PCs da Acer, e esse número está crescendo, afirma o diretor da Acer America, Gregg Prendergast. A maioria desses Chromebooks está indo para as escolas, e o interesse está crescendo entre as empresas, aponta o executivo.

Vale notar que essa não é a primeira vez que o Windows teve os Chromebooks como alvo. Em 2014, a Microsoft tentou atacar os Chromebooks com laptops de baixo custo rodando o Windows 8.1 gratuito com o Bing OS. O esforço em vão foi pelos ares quando o Windows 10 foi lançado no meio de 2015.

Naquela época, o Windows 8.1 com o Bing tinha como foco um portfólio amplo de notebooks de baixo custo. As fabricantes de PCs se arrependeram de terem “abraçado” o Windows 8.1 no Bing depois de terem enchido seus estoques com laptops baratos que ficaram encalhados em uma época em que o mercado de PCs desacelerou.

Agora a Microsoft espertamente direcionou o Windows 10 S para o mercado de educação, aponta a IDC. Mas o Chromebook é o preferido nas salas de aula porque os aparelhos são resistentes, baratos e fáceis de gerenciar. A implementação de aplicações baseadas na nuvem pelo Google também funciona bem.

O analista da IDC, Jay Chou, afirma que a sua filha usa um Chromebook na escola e um PC Windows em casa para se logar no Google Classroom. Para ele, essa combinação funciona bem.

Para o analista da Gartner, Mikako Kitagawa, a Microsoft precisa focar no mercado de educação para conquistar os estudantes, que formarão suas opiniões sobre qual plataforma computacional irão usar no futuro.

Foi assim que a Apple desenvolveu uma parte da sua base de fãs, com muitos iPads e Macs sendo usados nas salas de aula nos últimos anos. A Microsoft precisa capturar esse mercado, e o Windows 10 S é uma maneira de fazer isso, aponta o especialista da Gartner.

Além de laptops baratos, a Microsoft também precisará alcançar a simplicidade de configuração disponível nos Chromebooks. Muitas escolhas não possuem departamentos de TI, e a Microsoft tentou facilitar a configuração de laptops Windows 10 S para estudantes com o processo todo levando 30 segundos por meio de um pendrive.

Os Chromebooks estão vendendo bem na América do Norte, na Escandinávia e na Austrália e Nova Zelândia. O Windows 10 S tem a chance de conquistar os outros países onde os Chromebooks ainda não foram adotados de forma mais ampla.

Nos EUA, os Chromebooks responderam por 58% dos laptops enviados para salas de aula em 2016, enquanto que o Windows tinha uma fatia de 22%, segundo a empresa de pesquisas Futuresource.

No restante do mundo, o Windows principal possui uma participação de 65% do mercado, enquanto que o Chrome OS alcançou apenas 9%.

Os Chromebooks e os laptops Windows 10 S terão problemas parecidos em alguns países – ambos são feitos para usarem conexões Wi-Fi, enquanto que redes celulares são a principal forma de conexão em muitos países em desenvolvimento e outros locais como o Japão.

A adoção dos Chromebooks também está crescendo nas empresas, especialmente instituições do mercado financeiro. Eles são uma solução móvel e de custo mais baixo para clientes mais leves, que podem ser difíceis de gerenciar, aponta Kitagawa.

Mas as fabricantes de PCs não estão totalmente animadas em vender PCs de baixo custo para o mercado de educação. Apesar de ser um mercado gigante, as margens de ganhos são baixas. Como os professores podem gerenciar os laptops na sala de aula, as empresa não ganham por meio de suporte ou outros serviços do tipo.

Fonte: http://idgnow.com.br/ti-pessoal/2017/05/03/em-alta-chromebooks-irao-testar-os-novos-pcs-com-windows-10-s/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *